1 1 1

Bebel Gilberto   TUDO

Bebel Gilberto, com várias indicações ao Grammy, vai lançar pela Sony Masterworks seu novo álbum Tudo, em agosto de 2014; sua primeira gravação em estúdio nos últimos cinco anos. Tudo, que significa “everything” em Inglês, exibe os vocais refinados e melancolia de Bebel, nas composições visionárias em cada uma das 12 faixas do CD. Bebel divide seu tempo entre Rio de Janeiro e New York; em cada faixa do álbum ela está perfeitamente sintetizada nas influências musicais de ambas as cidades. A tonalidade sensual de Bebel é constante ao longo de Tudo, assim como o ritmo brasileiro quente e lúdico, que incluiu o berimbau, bongôs de madeira e chocalhos.As melodias maravilhosas são moldadas por toques de música eletrônica, e os vocais intimistas de Bebel sugerem um Rio de Janeiro fantástico. Ao longo dos últimos cinco anos, Bebel escondeu verdadeiras pérolas musicais, melodias alegres, letras românticas e reflexivas, que agora surgem em Tudo. Em 2013 enquanto trabalhava no Brasil no DVD Bebel Gilberto in Rio, os ritmos começaram a se agitar dentro dela. Apesar de ter sido orientada a descansar para evitar a exaustão, Bebel acreditou que chegara o momento certo para gravar; ela sabia que a música seria forte. Apesar dos desafios trazidos em 2013: Eu sou uma “bon vivant“, assegurou Bebel que sempre encontra tempo para os amigos, cuidar de seu jardim no terraço com vista para o horizonte de Manhattan, ou para caminhar na praia, “Eu sei como viver.” Tudo talvez seja a gravação mais intimista de Bebel, que capta as vulnerabilidades humanas, que trazem tanto a dor como a alegria.

Tudo foi gravado no Brasil, New York, e Los Angeles; produzido e mixado por Mario Caldato Jr. no início de 2014. Bebel foi capaz de reunir seus músicos favoritos espalhados pelo mundo todo, e  generosamente usando as palavras “amazing,” “beautiful,” “heaven,” “a luxury!” para descrever o talento e suas contribuições para a realização de Tudo. Bebel escolheu trabalhar com o produtor Mario Caldato Jr., porque, como ela mesma disse, “Eu sou tão eclética, e precisava de um produtor que pudesse traduzir tudo isso.”, revela Bebel com uma risada, “Estou muito orgulhosa, mas cansada também!”.

Ao ouvir Tudo os gostos musicais ecléticos ao logo de toda sua vida se tornam palpáveis. Além de viver e respirar todos os tipos de estilos musicais quando criança, ela foi apresentada aos maiores, de Debussy a Prince; Michel Legrand a Billie Holliday; Bjork a Gershwin. Fica também evidente em algumas faixas de Tudo, mais que em outras, o seu amor pela alma Norte Americana; ela descobriu Donna Summer, Earth Wind and Fire, e Michael Jackson na pista de dança na adolescência.

“A era da discoteca desempenha um grande papel no meu coração”, diz Bebel, que ainda adora dançar.

Vários anos depois que Bebel se mudou para New York em 1991, a música eletrônica dos dias atuais chega ao Brasil e começa a se cristalizar. “Pouco a pouco, aprendi o que quero musicalmente!”, diz Bebel, que fez shows por toda a cidade e colaborou com vários artistas. Ela organizou e realizou semanalmente um show no The Greatest Bar on Earth, no topo do World Trade Center, no início dos anos 1990, que atraiu uma multidão internacional fervorosa. “Naquele show tudo começou a acontecer ao mesmo tempo”, diz Bebel. “Eu acho que me tornei uma New Yorker – com coração Brasileiro, é claro!”

Tudoé cantado em Português, Inglês—.

e com um toque de Francês. Bebel ficou encantada em finalmente cantar em dueto com Seu Jorge, amigo há mais de 20 anos; a composição deles “Nova Idea” é uma mistura sexy de harmonia e charme.

Tudo oferece uma mistura de músicas originais escritas ou co-escritas por Bebel, bem como outros compositores como Cesar Mendez, que também toca guitarra. Ela faz cover do clássico de Tom Jobim “Vivo Sonhando” e canta uma versão devastadora de “Harvest Moon,” de Neil Young, que se apresentou em 2011 no Carnegie Hall, quando fez seu debut tocando guitarra.

Os músicos de Tudo incluem Masa Shimizu na guitarra, que é um dos seus maiores colaboradores. “Ele pode ler a minha mente!”, diz Bebel. Didi Gutman do Brazilian Girls toca piano e o percussionista Mauro Refosco toca uma variedade de baterias e até mesmo instrumento com tampinhas de garrafa (bottle caps).

Liminha, que fez parte dos Mutantes, é também co-produtor de Tudo, junto com Kassim, que toca baixo elétrico e acústico e guitarras. O extremante talentoso Miguel Atwood-Ferguson criou os arranjos das cordas, assim como um som mágico novo, que de acordo com Bebel, foi a cereja em cima do bolo.